O CENTRO MEDICO

A Oxiclínica (Centro Médico Hiperbárico do Oeste Paulista) é um serviço pioneiro na região de Presidente Prudente, com serviços de alta tecnologia que possui uma câmara hiperbárica multiplace de última geração, com capacidade para até oito pacientes simultaneamente.

Reproduzir vídeo

Dr. Aroldo Ferreira da Silva

CRM/SP: 31908

O que é Medicina Hiperbárica?

A Medicina Hiperbárica é o ramo da Medicina responsável pelo estudo, pelas normas de prevenção e segurança e pelo tratamento de todas as patologias causadas pelos ambientes pressurizados, como também todas as situações patológicas que se beneficiam com oxigênio sob pressão.

A Oxigenoterapia Hiperbárica é a parte da Medicina Hiperbárica que se utilizada das câmaras hiperbáricas para tratamento de todas as situações patológicas indicadas para tal, com o paciente em seu interior respirando oxigênio puro (aproximadamente 100% de pureza).

A Oxigenoterapia Hiperbárica (OHB)

A Medicina Hiperbárica é o ramo da Medicina responsável pelo estudo, pelas normas de prevenção e segurança e pelo tratamento de todas as patologias causadas pelos ambientes pressurizados, como também todas as situações patológicas que se beneficiam com oxigênio sob pressão.

A Oxigenoterapia Hiperbárica é a parte da Medicina Hiperbárica que se utilizada das câmaras hiperbáricas para tratamento de todas as situações patológicas indicadas para tal, com o paciente em seu interior respirando oxigênio puro (aproximadamente 100% de pureza).

A Oxigenoterapia Hiperbárica (OHB)

É uma modalidade de tratamento médico, do âmbito da Medicina Hiperbárica, no qual o paciente ventila (”respira”) oxigênio puro (a 100%) em um ambiente pressurizado: uma câmara hiperbárica.

A OHB está difundida em todo o mundo, existindo cerca de 320 serviços autorizados nos EUA, 1500 na União Soviética, 80 na Europa, 300 no Japão e em menor numero nos outros países. No Brasil, já existem cerca de 50 serviços em funcionamento nas principais capitais.

Em Presidente Prudente você encontra o primeiro centro de tratamento hiperbárico do Oeste Paulista.

Câmara Multiplace - parte externa
Câmara Multiplace - parte interna

Existem dois tipos diferentes de câmaras hiperbáricas

Câmaras Multiplace: Equipamento de grande volume, com capacidade variável entre 2 e 20 pacientes. O ambiente interno é pressurizado com o ar ambiente; ou seja, uma mistura gasosa, enquanto os pacientes a serem tratados respirarão oxigênio puro através de uma máscara ou de um capuz.

Câmaras Monoplace: Equipamentos pequenos, com possibilidade de tratamento individual, pressurizadas com o próprio oxigênio puro, estando o paciente em seu interior sendo tratado.

Aspectos Fisiológicos

Um individuo normal respirando ar ambiente em normopressão estará recebendo oxigênio a uma pressão parcial de aproximadamente 150 mmHg. Com o caminhar do ar respirado em direção a arvore traqueobrônquica, e chegando nos alvéolos, a pressão parcial desse mesmo oxigênio estará agora em aproximadamente 10 mmHg. Ao passar através da barreira alvéolo-capilar, a pressão cairá mais um pouco, chegando em 90 mmHg. Nestas condições, teremos uma saturação da hemoglobina circulante em torno de 97%, e a quantidade de oxigênio dissolvido em plasma, de cerca de 0,3 volumes %.

Quando colocamos uma pessoa respirando oxigênio a 100%, também ainda em normopressão, a hemoglobina estará saturada em 100%, e a quantidade de oxigênio dissolvido em plama estará aumentada para 2 volumes %.

Se, contudo, associarmos ao oxigênio a 100% o aumento de pressão atmosférica, teremos então todas as alterações físicas referidas mais acima. Ao dobrarmos a atmosfera ambiente, elevaremos o PO2 arterial para 1.600 mmHg e a quantidade de oxigênio dissolvido no plasma em aproximadamente 4 volumes %. Quando triplicamos a pressão ambiente, a PO2 arterial estará em 2.300 mmHg, e a quantidade de oxigênio dissolvido, em 6 volumes %.

Dessa forma, o paciente dentro de uma câmara hiperbárica, com aumento de pressão atmosférica no seu interior, e respirando oxigênio a 100% terá um grande aumento circulatório na porção de oxigênio liquefeito no plasma, ocorrendo dessa maneira muitos efeitos biológicos (químicos e celulares) que se faz nesta situação especial.

Efeito Antibiótico: A própria situação de hiperóxia criada pela OHB proporciona ação bactericida, bacteriostática, fungicida e fungostática; aumentando também a ação dos macrófagos. Ocorre sinergismo importante entre essa situação hiperóxia e a maioria das antibióticos, principalmente com os aminoglicosídios, cefalosporinas, cloranfenicol, clindamicina, vancomicina.

Efeito Osteogênico: Em tecidos ósseos comprometidos, ocorre uma melhor atividade dos osteoblastos.

Efeito Angiogênico: Sabemos que o estímulo para a neovascularização se faz pela situação de hipóxia, porém entre uma sessão e outra de OHB se cria uma situação de hipóxia relativa, sendo este o estímulo para a angiogênese.

Efeito Músculo Protetor: Ocorre proteção de toda musculatura estriada envolvida no processo patológico, com diminuição no acúmulo de lactato.

Efeito Vasoconstrictor: Efeito próprio da hiperóxia, resultando em diminuição do edema criado pela vasoplegia. Devemos ressaltar aqui, que apesar da vasoconstricção, levando-se em conta a liquefação do oxigênio em nível plasmático, ocorre um incremento muito grande na oxigenação dos tecidos.

Efeito Antiradicais Livres: Ao contrário do que se pode imaginar, o tratametno com OHB leva a situações protetoras contra a formação em excesso dos radicais livres, com aumento na formação de ATP, diminuindo a marginação leucocitária, etc; como também melhorando a atuação dos "varredores" dos radicais, como por exemplo a superóxido dismutase.

Efeito de Compressão Gasosa: Pela lei de Boyle, já mencionada anteriormente, temos o efeito de compressão das bolhas de gás, associado ao efeito de lavagem mais rápida e eficiente dos gases inerentes e/ou tóxicos.

Efeito Cicatrizante: Em qualquer injúria tecidual onde não seja possível ser atingido uma tensão de oxigênio de pelo menos 40 mmHg, haverá um comprometimento da regeneração do tecido, como também alteração em sua função e vida. O tratamento coadjuvante com o OHB propriciona uma condição excepcionalmente boa para o funcionamento acelerado de todas as células envolvidas no processo de cicatrização, principalmente os fibroblastos.

Efeito Antiinflamatório: A OHB terá influência em várias etapas da cascata inflamatória, responsável por inúmeros efeitos danosos à homeostase, fazendo com que essa cadeia seja interrompida.

Efeito de Ativação Celular: Ocorre uma melhor ativação na formação dos macrógrafos, através de fatores provenientes das plaquetas, com o fator de crescimento (TGF-BETA), fator ativador das plaquetas (PAF), fibronectina e seroronina. Com a ativação dos macrógrafos, resultará na síntese de óxido nítrico, que estimula a cicatrização e tem efeito antimicrobiano.

Av. Marechal. Deodoro, 205 - Vila São Jorge - Pres. Prudente-SP, CEP 19013-060
Tel: (18) 3908-2113 / (18) 3908-7932

Ligar
Rota